Campus de Macaé

O campus Macaé da Universidade Federal do Rio de Janeiro surgiu na década de 80, influenciado pelas pesquisas realizadas pelo Instituto de Biologia nas lagoas da região. A partir disto, a filial macaense da UFRJ iniciou seu trabalho realizando mudanças no ambiente universitário através da pesquisa. Conforme foi avançando e expandindo seus limites, a pesquisa propiciou as atividades de ensino da graduação.

Atualmente, as atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFRJ-Macaé ocorrem predominantemente em dois pólos:
– Pólo Cidade Universitária;
– Pólo Barreto.

 O Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé – NUPEM localiza-se no Pólo Barreto, que também abriga uma biblioteca, um auditório, salas de aula e laboratórios de pesquisa.
Algumas atividades de pesquisa e extensão são desenvolvidas nas instalações do Instituto Macaé de Metrologia e Tecnologia – IMMT.

Pólo Cidade Universitária:  

O Campus UFRJ-Macaé foi instituído em 27 de março de 2008, a partir do reconhecimento da evolução do envolvimento de vários segmentos da comunidade da UFRJ na criação de cursos, na construção de projetos de pesquisas e de extensão em Macaé, e na inserção da Universidade na sociedade.

Em julho do mesmo ano, a UFRJ inaugurou o campus em Macaé. Nessa nova cidade universitária, a princípio, eram oferecidos cursos de Ciências Biológicas, Química e Farmácia. No ano de 2009 houve a criação de turmas de Medicina, Enfermagem e Obstetrícia e Nutrição. Em 2011, o campus recebeu os cursos de Engenharia Civil, Mecânica e de Produção. A nova unidade da UFRJ foi instalada em um prédio construído pela Prefeitura de Macaé, responsável também pela manutenção de infra-estrutura, pela reforma do mobiliário, além da futura construção de laboratórios. Ao todo, serão seis blocos dentro do campus. Inicialmente havia apenas um bloco já construído, com três pavimentos e 30 salas de aula, enquanto a construção de outros dois prédios já estava em licitação. No dia 09 de junho de 2011, foram iniciadas as obras de construção do terceiro bloco da Cidade Universitária. O novo prédio atenderá ainda os alunos dos novos cursos iniciados neste ano. Todo o complexo composto por uma área total de 95 mil metros quadrados. Possui área construída de 20 mil metros quadrados, destinados às salas de aula (30), com capacidade para abrigar 40 estudantes e 1.200 alunos por dia, em três turnos. Ele também será adaptado para portadores de necessidades especiais.

Pólo Cidade Universitária: Rua Aloísio da Silva Gomes, 50 – Granja dos CavaleirosPólo Barreto: 

Conforme mencionado anteriormente, a presença da UFRJ em Macaé vem desde o início da década de 1980. Neste período, pesquisadores do Laboratório de Limnologia do Instituto de Biologia (IB) iniciaram atividades científicas nas lagoas costeiras do município de Macaé e região. Devido às condições precárias para a realização dos trabalhos os pesquisadores permaneciam acampados em barracas às margens das lagoas para realizarem seus estudos. Nas varandas destas barracas seus laboratórios eram improvisados, o que contribuiu para o início do Campus da UFRJ em Macaé.

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Macaé, em maio de 1994, foi instituído o Núcleo de Pesquisas Ecológicas de Macaé (NUPEM). Desde seus primeiros anos de vida, o NUPEM/UFRJ tem como foco central o desenvolvimento de várias atividades de extensão, caracterizado pelo grande alcance social. Destacam-se os cursos para professores e as atividades de Educação Ambiental para alunos e professores do ensino fundamental e médio.

O reconhecimento da excelência das atividades pesquisas e de extensão desenvolvidas pela UFRJ em Macaé e Região foi visível, tanto que a Prefeitura doou um terreno de 29 mil metros quadrados, em que foi instalada a infra-estrutura inicial da UFRJ em Macaé. Neste terreno, foi construído um conjunto de laboratórios, salas de aulas, biblioteca, auditórios e alojamentos, que constitui a nova sede do NUPEM/UFRJ e que se tornou as primeiras instalações da UFRJ no Campus de Macaé, mais precisamente, no Pólo Barreto.

Em 28 de Julho de 2005, o NUPEM foi institucionalizado como Unidade do Centro de Ciências da Saúde (CCS-UFRJ). Com a institucionalização do NUPEM como Unidade Acadêmica foi possível fixar recursos humanos, técnicos e administrativos e pesquisadores que viabilizaram o aumento considerável do número de linhas de pesquisas que passaram a ser desenvolvidas em Macaé. Ainda em julho de 2005, através do Instituto de Biologia (IB), iniciou-se pela primeira vez um curso de graduação da UFRJ fora da capital fluminense, foi a Licenciatura em Ciências Biológicas na sede do NUPEM.

Assim, pode-se afirmar que o Campus UFRJ-Macaé surgiu a partir da pesquisa e da extensão e posteriormente houve a implementação do ensino de graduação. Este caminho é completamente distinto da grande maioria dos campi universitários do país, que tiveram seu início com o ensino de graduação.

Pólo Barreto: Av. São José do Barreto s/n , São José do Barreto – atrás do Centro de Convenções

IMMT: 

Em fevereiro de 2009 foi iniciada uma parceria com o Instituto Macaé de Metrologia e Tecnologia (IMMT), órgão vinculado à Secretaria de Ciência e Tecnologia da Prefeitura de Macaé que teve como objetivos gerais de:

1) Estabelecer uma cooperação técnico-científica com professores pesquisadores do Campus UFRJ-Macaé;
2) Proporcionar infra-estrutura física de pesquisa científica para a implantação de laboratórios integrados/multiusuários da UFRJ voltados para estudos na área biomédica e
3) Trazer para o Município de Macaé uma vertente biotecnológica relacionada com avanços em biomedicina e pesquisa de novos compostos bioativos de interesse médico e farmacológico.

A escolha do IMMT foi estratégica, pois sua localização é bem próxima ao Complexo Universitário. O acesso ao Complexo é rápido, o que facilita o trânsito de docentes e dos alunos de iniciação científica e pós-graduação entre as duas instituições.

A fim de estabelecer a pesquisa em suas dependências, o IMMT disponibilizou, inicialmente, ao Campus da UFRJ-Macaé uma área física que proporcionou a instalação de todos os equipamentos do Laboratório de Imunofarmacologia Celular provenientes do Instituto de Bioquímica Médica do Campus da UFRJ-Fundão. Ao mesmo tempo em que eram feitas as adaptações dos espaços para a operacionalização dos equipamentos enviados pelo Instituto de Bioquímica Médica para Macaé, no IMMT, com investimento financeiro, todo esse suportado pelo próprio IMMT e apoiado por projeto de pesquisa vinculado ao Instituto Millenium de Fármacos e Medicamentos e projeto PRONEX, o IMMT disponibilizou, juntamente com os pesquisadores envolvidos, mais recursos financeiros e áreas físicas que puderam dar origem ao Laboratório Integrado de Síntese e Purificação de Compostos Bioativos, ao Laboratório Integrado de Saúde e Sociedade e também o Laboratório de Bioinformática.

As instalações do IMMT deram a possibilidade de implantação de uma unidade multiusuária de pesquisa científica voltada para o desenvolvimento de pesquisas nas áreas biomédicas e de fármacos e medicamentos, tendo sido o primeiro espaço no Campus a se destinar exclusivamente à pesquisa científica na área biomédica. Os diferentes laboratórios de pesquisa da UFRJ que hoje se encontram no IMMT têm uma interação temática que consiste na concepção de novos compostos desde os estudos de interações moleculares e modelagem pela bioinformática, até o isolamento e purificação de produtos bioativos.

Por Lorraine Meideiros

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: