Rio de Janeiro: Cultura

Música

O Rio é conhecido não só pela beleza natural do seu entorno, mas também pela beleza natural do seu povo. Sua beleza é muito mais do que física, a maioria possuem uma alegria interna. Os cariocas são conhecidos alegria e por serem  acolhedores.

A cidade foi popularizada pela canção “Garota de Ipanema” (The Girl from Ipanema), composta por Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes. É também a música principal da bossa nova , um gênero musical que nasceu no Rio de Janeiro.  A música e a dança carioca não são só samba e bossa nova, mas também o Pagode, uma forma de samba mais lento, o Forró, uma dança nordestina, mas que conquistou cariocas, o  Hip-hop também tem um grande número de seguidores, o Funk entres outros estilos. Um bom lugar para desfrutar de quase todos esses estilos de dança e música é na Lapa, um grande palco para dançar a noite toda.

Abaixo, alguns exemplos de música popular brasileira (MPB). Clique e assista:

  • “Dança da Solidão”, por Marisa Monte e Paulinho da Viola

  • “Como Nossos Pais”, por Elis Regina
  • “O Sol Nascerá”, por Cartola

  • “Palavras Não Falam”, por Mariana Aydar

 

Literatura

Após a independência brasileira de Portugal, em 1822, o Rio de Janeiro rapidamente desenvolveu um estilo europeu na vida burguesa cultural, incluindo vários jornais, em que a maioria do século 19 romances foram inicialmente publicadas em série. Joaquim Manuel de Macedo  A Moreninha (1884)

O romântico e o realista floresceram no final do século 19. O autor mais famoso do Rio de Janeiro é  Machado de Assis, que também é amplamente considerado como o maior escritor da literatura brasileira e considerado o introdutor do realismo no Brasil, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881);  que ele tinha comentou e critouo os acontecimentos políticos e sociais da cidade e do país, tais como a abolição da escravatura em 1888 ea transição do Império para a República, entre numerosas crônicas publicadas em jornais da época, contos e romances, como Quincas Borba (1891) e Dom Casmurro (1899), são colocados no Rio de Janeiro.

Tinha-me lembrado a definição que José Dias dera deles, “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”. Eu não sabia o que era oblíqua, mas dissimulada sabia, e queria ver se se podiam chamar assim. Capitu deixou-se fitar e examinar. Só me perguntava o que era, se nunca os vira; eu nada achei extraordinário; a cor e a doçura eram minhas conhecidas. A demora da contemplação creio que lhe deu outra idéia do meu intento; imaginou que era um pretexto para mirá-los mais de perto, com os meus olhos longos, constantes, enfiados neles, e a isto atribuo que entrassem a ficar crescidos, crescidos e sombrios, com tal expressão que…
Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca.

ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Capítulo XXXII (Olhos de Ressaca)

 

Bibliotecas

Biblioteca Nacional do Brasil classifica-se como a oitava maior do mundo. É também a maior biblioteca de toda a América Latina. As coleções mais valiosas na biblioteca incluem: 4.300 itens doados por Barbosa Machado, incluindo uma preciosa coleção de folhetos raros detalhando a História de Portugal e Brasil; 2.365 itens a partir do século 17 e 18 que foram anteriormente propriedade de Antônio de Araújo de Azevedo, o “conde da Barca”, incluindo o volume de 125 conjunto de impressões “Le Grand Théâtre de l’Univers,” uma coleção de documentos referentes à Província Jesuítica do Paraguai e da “Região do Prata”; ea Teresa Cristina Maria Coleta, doados por Dom Pedro II. A coleção contém 48.236 itens. Itens individuais de especial interesse incluem uma edição rara da primeira Os Lusíadas de Luís de Camões.

Real Gabinete Português de Leitura

www.realgabinete.com.br

Rua Luís de Camões, 30 – Centro, Rio de Janeiro

(0xx)21 2221-3138

Biblioteca Euclides da Cunha

http://www.bn.br/

Rua da Imprensa, 16 – Centro, Rio de Janeiro

(0xx)21 2220-0390

Biblioteca Infantil 

http://www.bn.br/ 

Rua Pereira da Silva, 86 – Laranjeiras, Rio de Janeiro

(0xx)21 2556-6730

Biblioteca Nacional 

http://www.bn.br/

Av. Rio Branco, 219 – Centro, Rio de Janeiro. No google maps.

(0xx)21 2220-0718

Biblioteca do Estado do Rio de Janeiro 

Avenida Presidente Vargas, 1261 – Centro, Rio de Janeiro. No google maps.

(0xx)21 2252-6810

Por Carolina Almeida, Catarina Lopes e Simone Magna.

Fundação Casa de Rui Barbosa 

www.casaruibarbosa.gov.br

Rua São Clemente, 134 – Botafogo, Rio de Janeiro

(0xx)21 3289-4600

Biblioteca Nacional-Escritório Direitos Autorais

http://www.bn.br/portal/?nu_pagina=25

Rua da Imprensa, 16 – Centro, Rio de Janeiro

(0xx)21 2240-2123

 

Por Carolina Almeida, Catarina Lopes e Simone Magna.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: